segunda-feira, 21 de abril de 2014

Para onde vamos nós?

Não dou muita importância ao meu aniversário, do mesmo modo que não dou muita importância ao aniversário dos outros. Acho que a pessoa deve ser festejada todos os dias. No entanto, tento não me esquecer das datas para, no mínimo, escrever umas linhas simpáticas à pessoa.

Tanto nos aniversários, como em épocas mais festivas, em plena era da tecnologia, se posso, eu escrevo um postal. Não há nada mais caloroso do que umas linhas escritas pelo punho da pessoa que "perdeu" tempo a escolher um postal, que teve o cuidado de colar um selo e de ir ao marco de correio mais próximo depositar a missiva.
No entanto, por diversos factores vejo-me obrigada a usar o livro das caras e/ou o email para felicitar algumas pessoas. Mas, mesmo usando esta tecnologia fria, tento dar calor à coisa. Vá, pelo menos o meu calor! Escrevo mensagens personalizadas, não reenvio mensagens, a não ser que seja algo mesmo caricato que eu sei que aquela pessoa vai gostar, e remato sempre com beijos e/ou abraços (lá está, depende sempre de quem vai receber a mensagem) e muitos smileys.

Hoje escrevi a um amigo a dar-lhe os parabéns atrasados. Expliquei-lhe o meu atraso e escrevi umas linhas para ele, linhas que não teriam muito sentido se fossem enviadas para outra pessoa. Ele agradeceu e ainda disse para eu não me preocupar com o atraso.

No fim desta troca de mensagens, em privado, reparei que alguém tinha colocado uma mensagem pública no perfil de uma colega que faz anos hoje. Fiquei estarrecida!!! Eu tinha vergonha de escrever uma mensagem destas. Acho até que gente que escreve mensagens destas deverias ser banida das redes sociais...
Não digo que deveriam ser como eu (eu acho que deveriam, mas... já aceito outras versões menos trabalhadas), no entanto... se fosse comigo, eu consideraria ofensivo que me escrevessem no perfil a seguinte mensagem: pbs!

What the...?!?!? chegámos ao ponto de resumirmos os nosso sentimentos a pseudo-siglas?!?!? Já não haverá tempo para, no mínimo, se escrever a palavra completa (que considero na mesma mais do que insuficiente)?!?!
Bolas!!! Hoje estou decepcionada com a humanidade!

3 comentários:

Karla Xavier Xavier de França disse...

Oi Luisa,

Compartilho deste mesmo sentimento!
As redes sociais nos abriram portas para conhecermos e nos aproximarmos de quem nem poderíamos imaginar.

Veja eu e vc, com certeza sem internet não teríamos chance de nos conhecer,mas ao mesmo tempo as pessoas querem simplificar muito a vida, e perdemos a oportunidade de trocar experiências e etc.

Eu gosto muito de conversar, de escrever e de dar atenção para as pessoas e acho importante o convívio! Essa é a magia da vida os reencontros ;)

Abraços

Luísa disse...

Olá!
É isso mesmo...
As pessoas andam a simplificar demais onde não deveriam e andam a complicar demais onde também não deveriam.
Depois é divórcios em pouco tempo de casados. É depressões fortes, causadas pela solidão, e que, por vezes resultam, em suicídio...
Em plena época da lata tecnologia que serve para facilitar a vida/comunicação das pessoas é que elas estão mais longe!! Um enorme paradoxo!!!

Karla Xavier Xavier de França disse...

Uau, verdade...tenho esse mesmo sentimento que você!
Parece que estamos com medo, de nos aproximarmos.
Eu sei que não é fácil se relacionar com o próximo, porque cada pessoa tem um opinião, educação e tudo mais... mas, eu acho tão lindo quando há a troca de experiências.
Como disse moro em São Paulo, e sempre recebo pessoas de vários países. Há algum tempo recebi 3 finlandeses, detalhe não falo nada..de inglês, imagine finlandês...não fiquei intimidada não, me comunicava através do google translator...kkkkk, é isso mesmo
E busquei aprender um pouco mais com eles, não o finlandês, po que nesta altura do campeonato sem condições, mas pelo menos o inglês.

Eu sei que tem muita gente desajustada neste mundo, mas eu ainda acredito que as boas almas se atraem, que aquele que esta disposto a fazer o bem, mais cedo ou mais tarde chega até nós!

;)