sábado, 29 de outubro de 2016

hã?!?!

Como se não bastassem as muitas coisas que se passam nesta empresa que me deixam os cabelos em pé...

Hoje aconteceu uma que, se fosse comigo o LZ não ficava com nenhum dente naquela bocarra.

Os passageiros fazem disparates enormes. Uma vezes por nervos, outras por estupidez pura. Uma dessas coisas é levar a bagagem errada consigo. Aconteceu ontem com um passageiro. Hoje teve que vir devolver o saco. Quando olhámos para ele... não era a coisa mais parecida do mundo. Mas...

O LZ disse ao passageiro. Primeira coisa que não devia ter feito, mas... ainda aceitável. No entanto, rematou com uma frase que é simplesmemte jnaceitável... você ontem estava bêbedo?

Não dio mais nada, que mais se poderia dizer?!?!

de Gestão

Eficiência é coisa desejada em qualquer empresa. A empresa onde eu trabalho gaba-se de ser boa e que quer ser melhor e que o raio a parta. Mas, a bem da verdade, se o conceito de eficiência desta gente é este… não quero saber qual é o de ineficiência…

Uma das coisas erradas é meter gente e mais gente para trabalhar. Estamos hooooooras sentados sem fazer nada porque não há vôos. Não digo que se feche o estaminé, mas… talvez reduzir o número de empregados em certos momentos não seria mal pensado… é demasiado entediante.

Outra coisa é o atendimento ao público via telefone. Estou eu nos perdidos e achados e dou comigo a responder a perguntas que deveriam ser feitas por agências de viagens ou companhias aéreas…

Ah a que horas chega o avião de Podgorica? E lá vamos nos saber se há só um voo de uma companhia ou se há mais. Se há sou um ou se há mais por dia. Se há vôo charter ou nem por isso.

Ah a minha filha vai para a Conchichina e eu queria saber quantos quilos pode levar na bagagem ? Sei lá… cada companhia tem as suas regras. Depois, mesmo dentro de cada companhia, depende da classe em que se viaja, depende se houve upgrade, depende do frequent flyer card…  nós estamos nos perdidos e achados, nós trabalhamos com as empresas à chegada, não à partida…

Ah na minha viagem para o Fim do Mundo eu perdi a minha camisola no café. Vocês ficaram com ela. Não, nós não ficámos com ela. A nossa companhia trabalha só com coisas dentro do avião. Quem perde algo dentro do edifício, no café por exemplo, tem que se dirigir aos perdidos e achados do aeroporto, que pertencem a outra companhia. Ah, mas vocês disseram para ir buscar ao terminal2. Não, nós não dissemos nada, porque…

Desculpe, mas não é a nossa companhia. Desculpe mas não é o nosso terminal. Desculpe, mas não é nas chegadas. Desculpe, isso é nas partidas. Desculpe, mas isso é na companhia aérea. Desculpe, mas isso é com a agência de viagens.

Se a empresa tivesse um serviço telefónico decente a coisa seria melhor. Tinham uma recepcionista a trabalhar que encaminharia as chamadas para o sítio certo... um PBX nos dias de hoje é a coisa mais fácil de gerir... ah companhia aérea x?! Sim, só um segundo. BIP... sim, sim, eu encaminho-o para os perdidos achados do aeroporto. ah não foi no aeroporto, foi no avião?!? Então só um momento, por favor... BIP...

Assim não perdíamos tempo com coisas inúteis, não respondíamos aos passageiros com um não sei ou um não é aqui. Porque isso também não abona muito em favor da empresa.

Gestão de recursos básica...

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Canalha a brincar aos anúncios...

Sabem aquela voz que fala no aeroporto e que ninguém ouve? Sim, devemos prestar atenção. Pode ser que um dia seja para nós...

Hoje foi para o LP (também conhecido por LZ), um colega lá dos perdidos e achados. No entanto... ele não estava a chegar de Los Angeles.
Começando pelo começo. Na secção dos perdidos e achados onde trabalho há pelo menos dois sítios com microfones. Usamo-los para ler mensagens das companhias aéreas e para chamar um determinado passageiro ao nosso escritório. Ao contrário de outros microfones, aqueles dois só se ouvem naquela secção. O LP resolveu ir brincar como o microfone. Foi sentar-se atrás de um balcão, agarrou no microfone e começou a chamar um colega. Claro que os outros passageiros não se aperceberam que era uma brincadeira. Pois o LP disse que o fulano de tal tinha que se dirigir a não sei quem.
O colega que foi chamado como se fosse um passageiro foi ter com o LP. Eu achei que era parvo por estarmos na hora de trabalho, mas que já tinha acabado.

No entanto, a L achou que a brincadeira podia mais longe. Com um nome falso (penso eu) telefonou para a tal voz que se ouve por todo o lado. Pediu que o "Passageiro LP a chegar de Los Angeles se dirigisse a qualquer pessoa do pessoal de terra". Sim, em alemão e inglês... Sim, qualquer coisa como Mr. LP arriving from Los Angeles please contact any ground staff. Mr LP, please. Siiiiiiim...
E não contentes, ainda gozaram com a empregada que ouviu o pedido e fez o anúncio por todo o aeroporto. É a função dela... quem é que iria imaginar que um empregado se lembraria de gozar assim?!?!?

A piada é engraçada. Mas é para ser feito por amigos que pedem para o amigo ser chamado a não sei onde. Agora... um funcionário do aeroporto em horário de trabalho?!!? Se acham isto normal... que mais serão capazes de fazer?!!!?

Além de não estar a achar piada à creche com que trabalho, começo a ter medo daquela cambada...

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Fächli

odos os empregados tem uma espécie de caixa de correio (Fähli). Como eu trabalho no checki-in e nos perdidos e achados tenho direito a duas caixas de correio. Estou quase sempre nas catacumbas (perdidos e achados), então tenho que ir de tempos a tempos ao segundo andar, mesmo que não tenha check-in, "dar uma volta aos cambados".

Ontem chega uma e pergunta-me se eu não tenho uma caixa de correio lá em cima. Depois de dizer que sim, a resposta dela deixou-me de queixo caído. Ah eu queria ver. Parece inocente, mas não é. Ela queria abrir a caixa de correio e ver o que está lá dentro. Como é que é, por favor?!? Eu encomendei o sermão a alguém?!? A minha mãe não me abre o correio, quero eu que alguém leia as minhas coisas ?!?!

Haja descaramento...

e que tal arranjar uma agenda?!

O meu seguro de saúde não abrange a oftalmologia. Nunca compensou a diferença e eu deixei andar. Agora, mesmo que compensasse, a esclerose múltipla iria fazer com que o seguro aumentasse demasiado. Assim, deixo-me estar como estou e pago as consultas, bem como os óculos, em Portugal. A mim compensa e acabo por ajudar a economia local...
No entanto, hoje apercebi-me de como é cada vez mais difícil viver em Portugal, mesmo pagando tudo do nosso bolso...
Tentei marcar uma consulta para o início de Novembro. Numa clínica a doutora vai não sei quando e não sei quando e não é compatível comigo. Até aí nada de especial. Mas quando salto para outra clínica... não atendem. Salto para outra, não atendem. Salto para outra, não atendem. Volto ao início e aah, para Novembro? Tem que telefonar na altura, porque agora não sabemos nada. Hã?!?! Eu não estava a pedir uma consulta par 30 de Novembro, mas para a primeira semana. A primeira semana de Novembro começa daqui a 2 semanas exactas... como é que uma pessoa pode marcar uma consulta e pedir ao chefe que a dispense durante umas horas se só em cima da hora é que se sabe?!? Como é wue o médico, a clínica e os funcionários se organizam?!?
Sempre se disse que casa sem pão, todos ralham e ninguém tem razão. Mas... cada vez mais me parece que em Portugal o problema não é falta de pão. É mesmo de organização...

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

a verdadeira essência

Numa das companhias aéreas com que a minha empresa trabalha há um nível de passageiro que é como la créme de la créme de la créme da la créme com essência de baunilha e ainda com uma cereja em cima. Os senhores são levados quase ao colo para o lounge, depois voltam a ser levados quase às cavalitas para a porta de embarque. E depois quase lambem o chão até ao lugar onde se vai sentar a pessoa... Sempre achei que era maricada a mais, mas nunca me manifestei. Hoje caiu-me um passageiro destes no colo. Não falava mais nada do que chinês. E se em vez de gastarem 10000 francos (sim, tantos zeros) num bilhete, resolvessem fazer um curso de inglês?!?! Mas pronto...

Levei a mulher ao lounge. Sempre a sorrir e a fazer sinais, pois mais do que isso seria desperdício de energia. Depois de lhe indicar o canto onde se devia sentar, mostra-me o telemóvel. Lá fui buscar uma palavra-passe para o wifi. Mas e ela que não sabia meter os códigos!... mete-me o telefone na mão e eu que me amanhe. Lindo... e onde é que se descobre o OK em chinês?!?! Carrega para a frente, carrega para trás, apaga, desmancha e finalmente encontro o teclado com alfabeto inteligível... coloco os códigos e volta a carregar e a descarregar e... finalmente aquela porra estava conectada...
Voltei ao meu posto, para daí a uma hora ou assim a ir buscar para levar à porta. Mas como a minha pessoa tem estado mais tempo nas catacumbas do que nas portas, não sei calcular o tempo com precisão. Cheguei mais cedo à porta. Acreditam que levei um raspanete?!? Se chegasse tarde, ainda percebia, pois chegar tarde implica atrasar o embarque dos outros. Mas chegar antes?!?!
Depois veio o chefão da companhia aérea. Não veio de propósito, estava por perto e resolveu aproximar-se. Foi cumprimentar a mulher. Mas... ela ligou-lhe tanto como eu ligo a um calhau no fundo do mar... E na na hora de embarcar acabou por ser a levá-la ao lugar.
A parte deliciosa da coisa? Assim a verdadeira cereja no topo do bolo... a mulher fartou-se de fazer sinais de agradecimento à minha pessoa e ignorou por completo a minha colega que se tinha fartdado de tentar dar graxa à senhora.
É... um sorriso franco vale mais do que mil palavras, do que qualquer pontualidade suíça ou qualquer tratamento especial. E sorrir com franqueza... sorry! nem todos têm a capacidade de fazer...

terça-feira, 4 de outubro de 2016

listas e listas

De vez em quando, acho que trabalho com atrasados mentais.
Há tempos eu tinha visto uma nota a dizer que tínhamos que separar as listas da alfândega das listas do sistema de entregas. Eu ri-me… quem é que faria uma coisa dessas?!?
Pois… eu sou uma ingénua. Ontem falei com um passageiro ao telefone e disse-lhe  que a mala seria entregue hoje, caso chegasse a horas. De manhã voltaram a ligar eu vi que a mala estava cá e que seria enviada as 13horas. E dei essa informação.
Mais tarde, telefona uma outra pessoa a perguntar pela mala e explicou-me o porquê do «desespero». Na mala estão medicamentos e os senhor tinha que decidir se ia com a dona da mala ao médico ou se esperava pela mala. Eu disse-lhe que não se preocupasse que a mala estava a caminho.

Mas… de repente…  e se eu estava enganada?!? Peguei nas listas da entrega e vi que o nome não estava lá. Voltei a ligar e pedi um monte de desculpas e disse que era melhor ira o médico pois a mala não estava a caminho. Uns minutos mais tarde vou arrumar uma lista da alfândega e o que é que eu vejo?!? A lista que provava que eu tinha razão e que a mala estava a caminho.
A sério que esta gente existe?!?!

Eu já não tive coragem para telefonar novamente. Ainda pensavam que eu sou doente ou me drogo ou venho para o trabalho com os copos ou sei lá o quê…  Eles que vão ao médico e olha… ficam com medicamentos a mais. Por muito mau que seja, e melhor que ao contrário…
Mas que era desnecessario… era… oh gente burra !!!!!!!!